JAIME PRADES
BLOG       OBRAS       TEXTOS       CONTATO
NA MÍDIA           CATÁLOGOS           EDITORIAL           JAIME PRADES
SESC BIRIGUI 2017
VIRADA/ONU 2017
NATUREZA HUMANA
DENTRO/INSIDE
À DERIVA
OSSO
NH MATILHA
PACIFICADORES
PAREDE S/ PAREDE
BIO
LINHA DO TEMPO
EXPOSIÇÕES
BIO

JAIME PRADES 25 de Julho de 1958 | artista plástico brasileiro nascido em Madri, Espanha.

ESPANHA – 1958/1970
De 1963 a 1970 estuda no Liceu Francês de Madri.

BRASIL – 1970/1975
Estuda no Colégio Ayres de Moura/Olavo Bilac em São José dos Campos até 1974.
Participa do Festival de Inverno de Ouro Preto de 1973 onde cursa as oficinas de xilogravura, modelo vivo e desenho.

SÃO PAULO – DESDE 1975
Em 1976 inscreve-se na "Oficina de Gravuras 76" e freqüenta as aulas de modelo vivo da Pinacoteca do Estado de São Paulo.
Nesses dois anos freqüenta a Escola Contemporânea de Artes onde estuda pintura, desenho e história da arte.
De 1978 a 1979 trabalha como diagramador na Abril-tec da Editora Abril. Conclui o colegial no curso supletivo do Colégio Equipe em 1980. De 1979 a 1983 trabalha na editora Oboré de jornalismo sindical.
Em 1981 ingressa na Faculdade de Letras da PUC/SP que abandonará no fim do 5º semestre em meados de 1983.

TUPINÃODÁ – 1984/1989
Em 1984 inaugura o ateliê do grupo Tupinãodá na Vila Madalena em São Paulo.
Com o grupo realiza intervenções urbanas tridimensionais e gráficas. De 1986 a 1989 expõem na Pinacoteca do Estado de São Paulo, no Museu de Arte Contemporânea (MAC/USP), na Trama do Gosto da Fundação Bienal de São Paulo e em eventos paralelos de duas Bienais de São Paulo.
Ocupam os túneis da Av. Paulista e inauguram o "Beco do Batman" dois lugares emblemáticos da arte urbana brasileira.
Em 1988 o grupo faz a exposição "Tupinãodá" na galeria Subdistrito. No fim de 1989 separa-se do grupo.

USINA DE ARTE – 1990
Em 1993 expõe suas esculturas no Museu de Arte de São Paulo (MASP) com curadoria de Fabio Magalhães.
Entre 1990 e 2007 o artista produz artesanalmente por volta de 20 mil esculturas dos seus personagens.

ATELIÊ E COLEÇÕES – 1995
A partir de 1995 trabalha com o marchand Martin Wurzmann que promove a sua obra em coleções brasileiras e internacionais.
Em 1998 realiza a sua primeira exposição internacional no Japão na Plaza Gallery de Tóquio.
Em Novembro desse mesmo ano publica o livro "A arte de Jaime Prades".

DE NOVO NAS RUAS – 2007/2008
Em 2007 participa de dois projetos de valorização das comunidades da Zona Sul de São Paulo:
"A saída é pela arte" projeto idealizado por designer Claudio Rocha e "Galerias Periféricas".
Nesse mesmo ano realiza a intervenção urbana "A árvore das perguntas".
Em 2008 realiza a intervenção "A terra no lixo/o lixo da Terra" adesivando 200 lixeiras no centro da cidade.
Expõe a série dos painéis dos "Ícones" a "Árvore 0" e a "Árvore quadrada" na Galeria Olido com curadoria de Danilo Blanco e Fernando Zelman.

NATUREZA HUMANA – 2009/2010/2011
Começa a construir suas esculturas evocativas de árvores utilizando restos de madeiras resgatadas das caçambas e ruas da cidade.
Em 2009 constrói a primeira escultura pública do projeto em Bonito no Mato Grosso do Sul durante o 10º Festival de Inverno de Bonito com curadoria do Memorial da América Latina de São Paulo.
Em Setembro de 2010 realiza a exposição individual "Matilha Humana" na Matilha Cultural em São Paulo.

2012
Realiza a exposição individual "Parede s/ parede" no Ateliê/Galeria Priscila Mainieri em São Paulo.

2013
Entre abril e junho realiza a exposição "OSSO" no Espaço Cultural Instituto Cervantes em SP.

2014
Inaugura no dia 17 de maio a exposição "PACIFICADORES" na galeria Mezanino em São Paulo, em cartaz até 21 de Junho.
Realiza a instalação "á deriva" no Parque do Ibirapuera de São Paulo para a Virada Sustentável.

2016
Realiza o mural "Metamusicomáquina" na cidade de São Paulo.
Na exposição "DENTRO/INSIDE", usando exclusivamente telas e papel como suporte, o artista traz à tona uma nova linguagem.

2017
Realiza o mural "Céu e Terra" no SESC Birigui, para o SESC/SP.

Atualizado em 07/02/2018